Arquivo | dezembro, 2012

Quando acaba

30 dez

A paixão cresce

em nós

como bolhas de água fervente.

Ali permanece por algum tempo,

agitando nosso coração,

confundindo-nos a mente.

Até que com a água finda,

acaba-se o combustível e

as bolhas se evaporam.

A paixão não nutrida enfim, se esvaece.

(PINHEIRO,Ana)

quando

E se… não usássemos roupas?

26 dez

Por que algo tem de ter uma razão específica para ser como é? Ou porque alguém tem de fazer algo com uma finalidade prática?

Tudo no mundo, desde os primórdios da história da humanidade se resumiu à rótulos. O traje de peles de animais que criou a distinção social entre os caçadores e os outros, os inaptos e sem-peles. E a sociedade moderna assume papel semelhante, mas por quê?

E se não existissem os rótulos, como seriam as pessoas? A garota fácil, a intelectual, o rico, o pobre, a normal, o estiloso, etc? O que teríamos dessas pessoas?

Somos algo além de rótulos!

(PINHEIRO, Ana)

Circuito Carioca de Ritmo e Poesia ou CCRP

24 dez

O CCRP é um circuito com várias rodas de rimas espalhadas pelo Rio de Janeiro. É também denominada de Rodas Culturais, pela interação de artistas de diversas culturas.

A roda surgiu a partir de um encontro simples entre os amigos. Admiradores de Rap e improvisos que cantavam a realidade social. Até que o grupo resolveu fazer algo mais pelo movimento, criando assim a tal roda cultural.

A liberdade, a criatividade e o respeito às diferenças são traços característicos do evento, que também tem a política de arrecadar casacos e roupas usadas para doações a pessoas necessitadas e instituições de caridade.

Apesar do conceito de mistura estar presente, costuma destacarem-se as apresentações de raps, hip hops, movimento que deu origem ao movimento. Há também um circuito de trocas, onde as pessoas costumam substituir seus artefatos por outros disponíveis de sua preferência, como os livros, quadros, desenhos, roupas, além de ampliarem, pela lógica da troca, seus contatos e amizades.

Em suma, a Roda Cultural é um evento ao ar livre onde a diferença é bem vinda e as manifestações artísticas saem da invisibilidade podendo mostrar toda sua riqueza.

Pra ouvir:  Grupo de Ritmo e Poesia da Z. Oeste do Rio de Janeiro

(PINHEIRO,Ana)

rap

Escrever

22 dez

Intervenção cívica

22 dez
“Se o homem não for capaz de organizar a economia mundial de forma a satisfazer as necessidades de uma humanidade que está a morrer de fome e de tudo, que humanidade é esta? Nós, que enchemos a boca com a palavra humanidade, acho que ainda não chegamos a isso, não somos seres humanos. Talvez cheguemos um dia a sê-lo, mas não somos, falta-nos mesmo muito. Temos aí o espetáculo do mundo e é uma coisa arrepiante. Vivemos ao lado de tudo o que é negativo como se não tivesse qualquer importância, a banalização do horror, a banalização da violência, da morte, sobretudo se for a morte dos outros, claro. Tanto nos faz que esteja a morrer gente em Sarajevo, e também não devemos falar desta cidade, porque o mundo é um imenso Sarajevo. E enquanto a consciência das pessoas não despertar isto continuará igual. Porque muito do que se faz, faz-se para nos manter a todos na abulia, na carência de vontade, para diminuir a nossa capacidade de intervenção cívica.” – José Saramago.
     maisamorporfavor